28 de julho de 2017

[SWD] Wizardess Heart: Cerim (capítulo 10)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Wizardess Heart. Espero que gostem! :)

(Série Princesa de Cristal) Cerim – Dia 10: Repentina Confissão
A caverna estava cheia com a névoa profunda, que era preta como a escuridão. Como um tentáculo vivo, ela se esticou pelo chão. A névoa negra se estendeu para o cristal.
???: Pare!
Liz: Pare...!
Eu me levantei rápido e me encontrei gritando.
Liz: *Arfa*
(O que é essa... terrível sensação...?)
Eu coloquei minha mão em minha testa, acalmei minha respiração e limpei meu suor frio.
(Foi apenas um sonho, certo...? Eu espero que nada aconteça...)
Liz: ...
(Meu corpo parece pesado...)
A terrível sensação que eu tive ficou. Meu corpo continuou ficando mais pesado.
Guy: Liz! Liz!
Liz: Huh...?
Eu me virei para ver Guy de pé atrás de mim.
Liz: Oh, bom dia, Guy.
Guy: Qual é o problema? Eu estava te chamado por tipo, os últimos trinta segundos.
Liz: S-Sério...?! Desculpe, eu não vi...
Guy: O que foi? Alguma coisa está errada?
Liz: N-Não, eu estou bem...
Guy: Não, alguma coisa aconteceu. Você está se sentindo doente? Você parece pálida.
Liz: Eu me sinto um pouco doente...
Guy: Você ficará bem? Quer que eu te leve para a enfermaria?
Liz: N-Não...! Não está assim tão ruim...
Guy: ...
Liz: ...
Guy: Você não está doente, está?
Liz: S-Sim, eu estou...!
Guy: Eu posso dizer... Então do que você está mentindo? ...Eu achei que você me diria tudo.
Liz: Desculpe...
Guy: Sim, eu entendo...
Com isso, Guy subiu correndo as escadas.
Liz: Guy!
(Eu não posso acreditar... Eu acabei de machucar Guy... Mas eu não posso dizer a ninguém sobre o cristal...)
Liz: *Suspiro*
(Eu me sinto pior...)
Quando eu cheguei em minha cadeira, eu simplesmente me larguei na minha mesa.
(Eu não sinto vontade de fazer nada...)
???: Bom dia, Liz.
Liz: ...!
Eu me mexi para levantar minha cabeça e vi Cerim sentando no assento ao lado do meu.
Liz: Cerim... bom dia.
Cerim: Qual é o problema? Seu rosto está pálido.
Liz: Eu tive um pouco de um sonho ruim... Então eu tive uma briga com meu amigo...
Cerim: Você está bem?
Liz: Provavelmente não.
Cerim: Não se force demais.
Cerim gentilmente afagou minha cabeça. Minha garganta engasgou e meus olhos se umedeceram.
Ronny: Certamente é legal e pacífico quando você está quieta!
Ronny apareceu de trás.
Liz: Ronny...
Ronny: Então apenas fique quieta! Isso vai... tornar as coisas muito melhores para mim!
Liz: Q-Quê...?!
Ronny: Oh, você quer brigar?!
Liz: Eu vou te enfrentar!
Ronny: Sim, é isso aí!
Ronny pareceu meio feliz enquanto atirava seu veneno.
(Eu aposto que Ronny também estava preocupado comigo...)
Liz: Obrigada, Ronny...
Ronny: P-Por que você está me agradecendo?! O quê, você é estúpida?!
As bochechas de Ronny ficaram vermelhas rapidamente. Então, o sino inicial tocou. Entrando na sala de aula veio um homem em uniforme com cabelo preto. Eu não pude tirar meus olhos de sua estatura nobre e seus movimentos graciosos.
(Quem é esse...? Ele é um estudante, certo?)
???: Vamos começar a lição. Eu tive uma oferta do professor para ensinar a lição de hoje, então eu estarei encarregado hoje. Meu nome é Azusa. Eu sou um estudante intercambista de Hinomoto. Hinomoto é uma pequena ilha no extremo leste. E hoje, eu fui pedido para fazer uma lição sobre a cultura de Hinomoto. Deixe-me fazer uma pergunta primeiro. Nós feiticeiros de Hinomoto lançamos feitiços diferentemente comparado aos feiticeiros normais. Tipo como todos aqui usam varinhas para lançarem seus feitiços, nós usamos uma certa parte do corpo para desenhar selos no ar. Um selo... bem, para resumir, é como um círculo mágico. Agora, que parte do corpo nós usamos? A garota com as marias-chiquinhas ali.
Liz: H-Huh?! Eu?
Azusa: Eu apreciaria. Por favor, pegue das seguintes escolhas.
Liz: Dedos!
Azusa: Correto. Bem, isso foi um pouco fácil demais. A próxima será mais difícil. Há outros pontos onde a cultura de Hinomoto e Gedonelune são completamente diferentes. As coisas que nós comemos, as coisas que nós vestimos... Os prédios são diferentes também. Nós principalmente comemos arroz, com peixe ou vegetais fervidos ou cozinhados. Nosso vestido tradicional é chamado de somegi. Ele tem longas mangas e é longo o suficiente para cobrir seus pés. Você prende-o com cordas quando o veste. Nossos prédios são geralmente de tetos baixos, e a maioria tem apenas um piso. Os tetos são geralmente em cores escuras, tipicamente azul escuro ou preto. Então, como você pode ver, há muitos países nesse mundo com culturas diferentes. Agora, então...
(Um país com uma cultura diferente... Eu gostaria de fazer uma visita algum dia...)
Então, eu olhei Cerim de relance. Seus olhos brilharam com empolgação. Quando a lição terminou, todos se levantaram e conversaram.
Cerim: A lição de hoje foi realmente interessante.
Liz: Sim! Eu mesma quero fazer uma visita a Hinomoto.
Cerim: Sim... eu também.
Eu senti que a expressão de Cerim ficou um pouco séria quando ele falou.
Liz: Cerim...
Cerim: Hm? O quê?
Liz: Oh, um, nada...
Azusa: Você, aí. Com as marias-chiquinhas.
Liz: Huh...?
Eu me virei para ver Azusa de pé atrás de mim.
Liz: Azusa...
Azusa: Obrigado por ser uma estudante tão boa. Ouvindo tão atentamente e respondendo bem e tudo isso.
Liz: Obrigada pela lição! Eu completamente gostei.
Azusa: Você gostaria de carregar esses papéis para mim? Há um pouco demais para eu me virar.
Liz: Claro, eu ficaria feliz! Eu vou sair, Cerim.
Cerim: Tudo bem...
Azusa: Obrigado.
Liz: Oh, o prazer foi meu.
Azusa: Eu estava bem preocupado lá, sendo pedido para ensinar uma lição tão de repente...
Liz: Mas você fez muito bem, eu aprendi muito! Você faz um excelente professor.
Azusa: Haha, honrado de ouvir isso.
Liz: Hinomoto soa como um país realmente interessante! Eu gostaria de visitar!
Azusa: Você gostaria, huh?
Liz: Sim!
Azusa: Bem, não é apenas diversão lá.
Liz: Huh...?
A expressão de Azusa se obscureceu por um momento, e um arrepio correu por minha espinha.
Liz: Ei...
Azusa: Obrigado. Eu apenas precisava que você as trouxesse até aqui.
Liz: Uh, claro...
Azusa: Este é um símbolo de minha apreciação por sua ajuda...
Ele me entregou um pequeno pacote.
Liz: O que é isso...?
Eu abri para ver um monte de pequenas coisas em forma de estrelas.
Liz: Aww, que fofo!
Azusa: Eles chamam isso de konpeito.
Liz: Konpeito...
Azusa: Prove. Eles são doces e gostosos.
Liz: Oh, são comestíveis?!
Eu coloquei um dos doces em minha boca.
Liz: Mmm! É muito bom!
Azusa: Não é? São seus.
Liz: Obrigada, Azusa!
Azusa: Bem, espero que nos encontremos novamente.
Azusa então foi embora.
(Azusa... Ele parece um cara legal.)
Bem depois das lições da tarde, eu perdi Cerim de vista.
Liz: Hmm...? Cerim...?
(Para onde ele foi...?)
Eu saí para o corredor, mas não pude encontrar Cerim em lugar nenhum.
Liz: Cerim...
Um ponto de ansiedade atravessou meu peito. O sonho que eu tive ontem brilhou em minha cabeça.
Liz: ...
(Ele ficará bem, certo...?)
Antes que eu pudesse pensar por um momento, meus pés começaram a correr por si mesmos.
Liz: Cerim! Cerim!
Eu fui para a caverna, mas Cerim não estava lá também.
Liz: Ele não está aqui...? Para onde ele foi...?
Bem então... Eu ouvi o som de alguém chutando uma chuta pela caverna.
Liz: Cerim?!
Eu me virei para encontrar alguém que eu não esperava.
Liz: Guy...?!
Guy: Liz.
Liz: Guy, o que você está fazendo aqui?!
Guy: Eu...
Antes que ele pudesse se explicar, Cerim veio correndo para dentro da caverna.
Liz: Cerim...!
Cerim: Você...?!
No momento seguinte... Cerim me puxou na direção dele com um braço e rapidamente apontou sua varinha a Guy. Então, ele tinha a varinha bem na garganta de Guy.
Cerim: Você... você machucou o cristal...!
Liz: Cerim...!
Guy: Cristal...? Do que você está falando?
Cerim: Não se faça de bobo!
Completamente furioso, Cerim empurrou sua varinha mais contra a garganta de Guy.
Liz: Espere, Cerim!
Eu apressadamente afastei Cerim de Guy.
Cerim: Solte-me...!
Liz: Não!
Cerim: Você...!
Liz: Por favor, escute o que Guy tem a dizer! Ele provavelmente apenas vagou aqui por acidente!
Cerim: Não, foi ele quem machucou o cristal! Não há chance que ele conheceria este lugar!
Liz: Acalme-se, por favor! Guy não faria algo assim!
Cerim: Por quê?! Por que você confia tanto nele?!
Liz: Eu apenas sei!
Cerim: O que você sabe?!
Liz: Guy é meu amigo... meu querido amigo... é por isso que eu sei! Guy nunca faria tal coisa!
Cerim: Qu...! Por que você confia em qualquer um!?
Liz: Cerim...!
Guy: Eu não sei do que você está falando. Eu estou sério, acredite em mim nisso.
Cerim: Então por que você está aqui?!
Guy: Porque... eu segui Liz.
Liz: Huh? Eu?!
Guy: Você parecia deprimida desde esta manhã, então eu estava preocupado.
Liz: Então você... veio atrás de mim?
Guy: Bem, eu apenas não podia te deixar sozinha.
Liz: Mas... por que você faria tudo isso por...?
Guy: Liz... Por que você não entende meus sentimentos?
Liz: O quê...?
Guy: Você é a densa aqui...!
Liz: Guy...
Guy: Eu não direi a ninguém sobre este lugar. Nada sobre o cristal, também. Cerim... Apenas não machuque Liz.
Guy rapidamente saiu da caverna.
Liz: Sem chance... Guy...?
(Guy... sério...? Sem chance...)
Liz: ...
Cerim: ...
Silêncio dominou a caverna, e nenhum de nós falou.
Cerim: Você... gosta dele?
Liz: ...!
Eu olhei ao rosto de Cerim em surpresa quando ele me perguntou.
Liz: N-Não, eu não gosto dele... Não há nada romântico em como eu me sinto sobre ele...! A pessoa que eu gosto é...!
Eu quase disse, mas me parei.
Liz: ...
Cerim: A pessoa que você gosta é...?
Liz: N-Nada...
Cerim: ...
Ronny: Ei, mestre.
Ronny mostrou sua cabeça do ombro de Cerim.
Ronny: Eu realmente acho que você deveria parar de fazer dupla com essa garota aqui.
Liz: Ronny...!
Ronny: Aquele cara encontrou essa caverna depois de segui-la. Ela é cheia de aberturas, e esse é um lugar sobre o qual ninguém deve saber. Então se você me perguntar, mestre...
Cerim: Sim.
Liz: Espere...! I-Isso é...!
Ele tinha um ponto. Eu era cheia de aberturas e nem mesmo tinha notado que estava sendo seguida. E se fosse alguém com más intenções...? Pensando nisso, eu não pude dizer nada.
Liz: ...
Ronny: Apenas vá para casa, Liz!
Liz: Eu sinto muito. Eu... realmente...
Cerim: ...
Cerim estava apenas olhando ao chão, quieto. Eu saí andando da caverna com passos pesados.
Liz: Por que isso acabou assim?
Eu encarei o chão enquanto andava junto com minha sombra.
(O que eu fiz? Eu machuquei Guy... Eu causei problemas para Cerim...)
Liz: Eu sou tão estúpida...
Eu segurei as lágrimas e olhei para o céu. As nuvens laranjas no pôr-do-sol flutuaram vagamente. Quando eu voltei ao meu quarto, eu não senti vontade de fazer nada. Eu apenas deslizei para dentro da cama, no fundo dos cobertores.
Amelia: Liz, você está bem?
Eu ouvi a voz de Amelia e mostrei meu rosto.
Amelia: Aqui, beba um pouco de leite quente. Tem mel nele.
Quando eu vi a caneca fumegante, eu finalmente me puxei para fora dos cobertores e sentei em minha cama.
Liz: Obrigada...
Eu gentilmente peguei a caneca e a segurei em minhas mãos.
Amelia: Então, qual é o problema? Você esteve super deprimida desde que voltou...
Liz: Eu meio que... machuquei um monte de pessoas.
Amelia: Ohhh... Eu estou supondo Cerim?
Liz: Cerim... e Guy...
Amelia: Guy...?
Liz: Foi bem como você disse, Amelia. Guy... ele gosta de mim...
Amelia: Sabe, eu tive uma sensação.
Liz: Por que eu não notei isso até agora...?
Amelia: Liz, era óbvio demais!
Liz: Huh...? Era?
Amelia: Era.
Liz: Como assim?
Amelia: A nota mágica, o telefone mágico... essas não são as coisas que ele usaria se não gostasse de você.
Liz: Mas eu pensei... que ele só estava fazendo isso como um amigo...
Amelia: Mesmo assim! Liz, você realmente é densa.
Liz: Guh...
Amelia: Essa realmente não era hora nenhuma de estar chamando Cerim de denso, huh?
Liz: Sim...
Amelia: Guy não pôde mais se segurar, então.
Liz: Não era como se ele repentinamente tivesse se confessado para mim, mas... foi perto...
Amelia: Então... Liz, o que você vai fazer?
Liz: O que eu vou fazer...?
Amelia: Você vai sair com Guy ou Cerim...?!
Liz: E-Espere...! Cerim... é o único que eu gosto.
Amelia: Ohhh... E sobre Guy?
Liz: Eu o considero um amigo... Mas considerando as circunstâncias, eu não posso continuar sendo amiga dele, posso...?
Amelia: Bem, geralmente, sim...
Liz: Quando eu penso nisso, dói...
Amelia: Mas nós não sabemos disso ainda. Que tal você apenas tentar falar com Guy?
Liz: Falar com Guy?! M-Mas isso será tão estranho...!
Amelia: Mas se você continuar evitando, vocês dois serão estranhos pelo resto de suas vidas, sabe?
Liz: Guh...! V-Você está certo...
Amelia: Você tem que falar com Cerim, também.
Liz: Cerim...?
Amelia: Por quanto tempo você vai ficar quieta? Você deveria apenas sair e dizer a ele, garota!
Liz: E-Eu não consigo confessar...!
(Definitivamente não é o melhor timing para eu confessar...)
Amelia: Então, você vai apenas esconder esses sentimentos? Você está bem com isso?
Liz: ...
Eu tomei outro gole de meu leite.
Liz: Você está certa. Eu definitivamente me arrependeria...
Amelia: Certo?
Liz: Confissão, huh...?
(Eu devo dizer meus sentimentos a Cerim...)
Eu olhei para fora da janela para ver a lua, que era tão branca quanto o leite em minha caneca.
Por quê...? Por que eu estou tão irritado? Eu... não acho que ela voltará para mim. Isso é o que eu queria, mas... por quê? Parece que um buraco se abriu em meu peito. O que são esses sentimentos complicados...?
Esse é o fim do capítulo 10. Até a próxima! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário